Home Saúde CESPU assinará protocolo que vai garantir maior acesso a consultas dentárias aos reclusos de Paços de Ferreira
CESPU assinará protocolo que vai garantir maior acesso a consultas dentárias aos reclusos de Paços de Ferreira
0

CESPU assinará protocolo que vai garantir maior acesso a consultas dentárias aos reclusos de Paços de Ferreira

0
0

 

Os reclusos do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira vão ter direito a consultas de medicina dentária diárias e de acesso facilitado. A medida resulta de um protocolo entre a CESPU, através do Departamento de Ciências Dentárias do IUCS, e o Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira, que vai ser assinado amanhã, pelas 15h00, e conta com a presença de Celso Manata, Diretor Geral de Reinserção e Serviços Prisionais. Esta parceria vai permitir que um maior número de reclusos tenha acesso a tratamentos dentários e cuidados de saúde em condições de qualidade e continuidade idênticas às que são asseguradas a todos os cidadãos.

O atendimento médico-dentário será prestado no âmbito da unidade curricular de Estágio em Saúde Oral Comunitária, do 5o do Mestrado Integrado em Medicina Dentária do IUCS. Os alunos finalistas serão sempre supervisionados por profissionais/docentes do referido curso.

“Entre a população reclusa do Estabelecimento Prisional de Paços de Ferreira existem necessidades reais de cuidados de saúde oral, desde logo percebidas pela grande procura nesta área. Por isso, a celebração deste protocolo é uma forma de aumentar muito significativamente o número de consultas a prestar a esta população com características muito peculiares”, afirma o Prof. Doutor Joaquim Moreira, Diretor do Departamento de Ciências Dentárias do IUCS e também coordenador do curso de Medicina Dentária, esclarecendo ainda que esta é também uma mais valia para os alunos na fase final da sua formação com a aquisição de competências e capacidades práticas/clínicas aplicando os métodos mais inovadores do mercado.

A CESPU entende que conciliar esta vertente de formação clínica com a possibilidade de permitir aos cidadãos, neste caso com uma condição de vida particularmente penosa, beneficiarem de um serviço de vanguarda, profissional e altamente qualificado é uma mais-valia inquestionável.

Este protocolo tem a duração de 3 anos, renovável por iguais e sucessivos períodos.