Home Património Investigações arqueológicas na Villa Romana de Sendim ao longo de 20 anos revelam sítio arqueológio ímpar na região de entre douro e minho
Investigações arqueológicas na Villa Romana de Sendim ao longo de 20 anos revelam sítio arqueológio ímpar na região de entre douro e minho
0

Investigações arqueológicas na Villa Romana de Sendim ao longo de 20 anos revelam sítio arqueológio ímpar na região de entre douro e minho

0
0

Resultados preliminares das investigações arqueológicas no âmbito da obra de requalificação dos arruamentos envolventes à Villa Romana de Sendim, sítio arqueológio ímpar na região de entre douro e minho

No âmbito das obras de requalificação dos arruamentos envolventes à Villa Romana de Sendim (Imóvel de Interesse Público desde 1997), tendo em conta a sensibilidade arqueológica desta zona da freguesia de Sendim, levaram-se a cabo trabalhos de investigação arqueológica desde finais de 2018 até ao passado mês de julho.

A obra, crucial para o desenvolvimento e melhoramento das condições de vida da população de Sendim, através da implementação de infraestruturas (saneamento básico, águas pluviais e águas publicas) e repavimentação da via em cubo, incide na área de proteção da Villa Romana, pelo que a sua execução está condicionada pela lei que estabelece as bases da política e do regime de proteção e valorização do património cultural (Lei nº 107/2001 de 8 de setembro). No cumprimento desta lei e em articulação com DGPC-DSBC da Cultura Norte, o Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal de Felgueiras tem encetado trabalhos de acompanhamento em toda a extensão da obra e escavação arqueológica (em cerca de 200 m²) essenciais à boa execução desta obra.

Os resultados trouxeram dados relevantes para o conhecimento da ocupação humana, que se crê contínua, desde a época romana até a época contemporânea. Da época romana foi identificada uma parte significativa da casa sob o pavimento da estrada atual. Em termos arquitetónicos vieram responder a algumas questões levantadas nos mais de vinte anos de investigação deste importante sítio arqueológico, que cada vez mais se afigura como um sítio arqueológico ímpar no Entre Douro e Minho.

Do período medieval foram identificadas cerca de uma dezena de sepulturas do tipo fossa, sendo que duas delas revelam traços evidentes de antropomorfismo. A morfologia das duas sepulturas antropomórficas indiciam ser parte da necrópole do século XII/XIII que foi afetada por remodelações em período moderno.

Corroborando as fontes escritas, da época moderna foram identificadas uma calçada que dava acesso a igreja e uma série de estruturas pétreas e em negativo que corroboram que no século XVI a igreja de Sendim era circundada por campos e anexos agrícolas. A construção da nova igreja no século XVII, ou talvez ainda na segunda metade do século XVI, terá reconfigurado de novo toda esta zona, promovendo a delimitação do novo adro e a abertura de novas vias de acesso.

Os novos dados agora obtidos permitem definir a evolução cronológica desta extensa área em volta da igreja, na proximidade das ruínas da Villa Romana de Sendim, com os diferentes momentos de ocupação. A relevância dos achados e a extrema necessidade de executar a obra projetada motivaram a aplicação de novas metodologias de registo, nomeadamente registo aerofotogramétrico e modelos 3D a cargo da GEOSITE (Universidade do Minho) e sob a coordenação do Doutor Renato Henriques (Universidade do Minho), que promovessem a sua preservação pelo registo e a sua valorização cultural. Complementarmente, da articulação da Câmara Municipal de Felgueiras com a DGPC-DSBC Cultura Norte, foram também encetadas medidas de minimização de impactos negativos sobre os achados arqueológicos que envolveram alterações ao projeto e recobrimento controlado de parte significativa dos vestígios arqueológicos para memória futura. Seguir-se-á o recobrimento e preservação de parte dos vestígios arqueológicos da necrópole medieval, para de seguida se executar a restante obra com o devido controlo e acompanhamento arqueológico.

Para melhor conhecer melhor a Villa Romana de Sendim, sítio arqueológico da tipologia villae ímpar e único visitável no Entre Douro e Minho, poderão usufruir de visitas guiadas de segunda a sexta-feira, das 9h às 12h30 e das 14h às 17h30. Neste período de contingência do COVID-19 as visitas estão condicionadas as regras impostas pela DGS, nomeadamente o uso obrigatório de máscara, desinfeção das mãos e distanciamento social. Para mais informações poderão contactar através do email: villaromana.sendim@cm-felgueiras.pt ou através dos números 255 312 636 / 962 126 327.