Home Economia Penafiel recebeu apresentação do III Encontro de Investidores da Diáspora
Penafiel recebeu apresentação do III Encontro de Investidores da Diáspora
0

Penafiel recebeu apresentação do III Encontro de Investidores da Diáspora

0
0

Decorreu na manhã, dia 25, na sede da Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa (CIM do Tâmega e Sousa), a apresentação oficial do III Encontro de Investidores da Diáspora. O evento, organizado pela Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas, através do Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora, e pela CIM do Tâmega e Sousa, com o apoio da Câmara Municipal de Penafiel, terá lugar entre os dias 13 e 15 de dezembro, no Pavilhão de Feiras e Exposições de Penafiel.

Na apresentação, o Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, elencou as razões da escolha do Tâmega e Sousa para anfitrião deste III Encontro de Investidores da Diáspora: “em primeiro lugar, as boas condições logísticas que a Comunidade Intermunicipal do Tâmega e Sousa disponibilizou para que aqui se realizasse o Encontro. Em segundo lugar, o facto de esta região ser uma das regiões do País que tem uma das maiores bolsas de emigração”. Na sua opinião, “estes portugueses podem agora ser elos para a internacionalização da economia local e regional, mas também elos importantes de atração de investimento dessas comunidades para as comunidades de origem”.

O Secretário de Estado das Comunidades Portuguesas fez uma retrospetiva das duas primeiras edições do Encontro de Investidores da Diáspora e adiantou alguns números deste III Encontro: “tivemos 250 empresários, de 35 países, no I Encontro, em Sintra. Tivemos 380 empresários, de 38 países, no II Encontro, em Viana do Castelo. Já temos 130 empresários inscritos, de 17 países diferentes, de 4 continentes, e ainda não era conhecido o programa deste III Encontro”.

Para o Presidente do Conselho Intermunicipal da CIM do Tâmega e Sousa, Armando Mourisco, a escolha desta região para a realização do III Encontro de Investidores da Diáspora é um “sinal inequívoco, através da Secretaria de Estado das Comunidades Portuguesas e do Ministério dos Negócios Estrangeiros, de que o Governo central percebeu o nosso potencial e a nossa dinâmica”. Quanto à diáspora, Armando Mourisco reconheceu que “estivemos muitas vezes de costas voltadas com esse extraordinário mercado, que é o mercado da saudade, e que não tivemos a capacidade de perceber o potencial que aí estava”. Porém, atualmente “tem-se um olhar completamente diferente e percebe-se o potencial dessas gentes para a nossa economia e para a criação de riqueza”.

O Presidente da Câmara Municipal de Penafiel, Antonino de Sousa, sublinhou que esta é “uma oportunidade de afirmação e de projeção do território do Tâmega e Sousa”.  Na sua perspetiva, “é também uma oportunidade do ponto de vista da economia local, do nosso tecido empresarial. Oportunidade de criar parcerias, de estabelecer redes com os nossos empresários que estão espalhados pelo mundo fora, que têm hoje uma afirmação já muito intensa nos países em que se encontram e que podem, de facto, ajudar as nossas empresas a internacionalizarem-se e, por outro lado, a nossa região tem excelentes condições para acolher investimento”.

O programa do III Encontro foi apresentado pela Coordenadora do Gabinete de Apoio ao Investidor da Diáspora, Luísa Pais Lowe, que destacou a presença, já confirmada, de 13 membros do Governo e de entidades e programas como AICEP, IAPMEI, Turismo de Portugal, Compete 2020, Start up Portugal, entre outras. O Encontro terá painéis dedicados às redes de contactos, sejam elas na área da investigação e do ensino superior, da ciência e da tecnologia, sejam elas a rede consular e diplomática. No primeiro dia será dada uma perspetiva mais nacional, enquanto o segundo dia será dedicado à região do Tâmega e Sousa, com entidades regionais e locais que apresentarão as suas políticas de apoio e incentivo ao investimento e à internacionalização. Haverá, ainda, painéis de apresentação de empresários de todo o mundo e um painel dedicado ao terceiro setor, à economia social.

Os Encontros anuais e intercalares de Investidores da Diáspora, que já decorreram em Sintra, Viana do Castelo e Praia da Vitória/Açores, respetivamente em dezembro de 2016, dezembro de 2017 e julho de 2018, contaram com a participação de centenas de investidores, empresários e empreendedores da diáspora portuguesa dos cinco continentes do mundo, proporcionaram contributos de grande interesse e facilitaram parcerias e negócios relevantes.

Mantendo-se o lema “Conhecer para Investir”, é facto assente que o Processo dos Encontros de Investidores da Diáspora vem reforçando e afirmando uma visão cada vez mais integrada da importância estratégica e peso económico do empreendedorismo das comunidades portuguesas.

Pretende-se com este III Encontro, como nos anteriores, facultar aos participantes, num contexto que seja simultaneamente institucional e propício ao networking, informação atualizada sobre mecanismos e programas de incentivo e apoio ao investimento em Portugal e à internacionalização de projetos de âmbito local e regional, proporcionando-lhes, ao mesmo tempo, uma plataforma de diálogo e partilha de experiências e boas práticas com interlocutores e redes de contacto importantes para os seus negócios.

O Encontro deste ano e as temáticas escolhidas para os diferentes painéis incidirão na importância da valorização das regiões e territórios enquanto polo de atração de investimento e/ou de internacionalização respetivamente com origem e/ou destino nas comunidades portuguesas, assim como no desenvolvimento e execução de políticas e medidas para esse efeito, aos níveis nacional, regional e local, e em estreita interação com os empreendedores e inovadores da Diáspora portuguesa em todos os seus formatos, características e geografias.

A organização do III Encontro de Investidores da Diáspora insere-se na Operação “Tâmega e Sousa – Qualify and Brand On”, liderada pela CIM do Tâmega e Sousa, em parceria com o Conselho Empresarial do Tâmega e Sousa e a Escola Superior de Tecnologia e Gestão do Politécnico do Porto, e cofinanciada pelo Norte 2020, Portugal 2020 e União Europeia, através do FEDER – Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

CIM do Tâmega e Sousa

 

tags: