Início » Camerata Nov’Arte atua no Centro de Interpretação do Românico

Camerata Nov’Arte atua no Centro de Interpretação do Românico

por S. Ferreira Rafael Telmo
Camerata Nov'Arte atua no Centro de Interpretação do Românico

O Centro de Interpretação do Românico, em Lousada, recebe na próxima sexta-feira, 4, pelas 21h30, a Sinfonia Nº 7, de Anton Bruckner, interpretada pela Camerata Nov’Arte, dirigida por Luís Carvalho.

Concebida no espírito da Sociedade Privada de Concertos de Schoenberg e seus discípulos, em Viena, na Áustria, na década de 1920, a presente versão de Luís Carvalho, de 2019, da Sinfonia Nº 7, de Anton Bruckner, para ensemble de 15 instrumentistas, procura transportar a monumentalidade da obra original para um formato instrumental mais compacto, leve e flexível.

O efetivo instrumental escolhido não é fortuito, já que tenta simular, em miniatura, a orquestra tipicamente bruckneriana, ao incluir praticamente todos naipes de sopros, bem como as cordas da versão original. Ao mesmo tempo, procura-se um refrescar tímbrico, incluindo instrumentos menos usuais como o eufónio ou o acordeão.

Pretende-se, simultaneamente, criar uma versão da sinfonia mais portátil, mas igualmente grandiosa no conceito sonoro, ao mesmo tempo que se apela à curiosidade do ouvinte com as inovações tímbricas. A perspetiva é que a fruição musical seja igualmente recompensadora, quando comparada com o original.

A entrada no Centro de Interpretação do Românico é gratuita, mas sujeita à reserva prévia de lugares. O concerto também será transmitido em direto nas redes sociais da Rota do Românico.

O evento conta com o apoio da Associação de Cultura Musical de Lousada, do Município de Lousada e da parceria institucional do Ministério da Cultura.

Camerata Nov’Arte atua no Centro de Interpretação do Românico

A Rota do Românico reúne, atualmente, 58 monumentos e dois centros de interpretação, distribuídos por 12 municípios dos vales do Sousa, Douro e Tâmega (Amarante, Baião, Castelo de Paiva, Celorico de Basto, Cinfães, Felgueiras, Lousada, Marco de Canaveses, Paços de Ferreira, Paredes, Penafiel e Resende).

As principais áreas de intervenção da Rota do Românico abrangem a investigação científica, a conservação do património, a dinamização cultural, a educação patrimonial e a promoção turística.

Também poderá gostar de

Escrever um comentário