Início » Águas de Paços de Ferreira diz não ver fundamento para Câmara rescindir o contrato entre as partes

Águas de Paços de Ferreira diz não ver fundamento para Câmara rescindir o contrato entre as partes

por Leite Beatriz
Águas de Paços de Ferreira diz não ver fundamento para Câmara rescindir o contrato entre as partes

Para a Águas de Paços de Ferreira (AdPF), não há nada que justifique a rescisão do contrato de concessão de água e saneamento estabelecido com a Câmara em 2004. A empresa mostra-se, aliás, disponível para procurar soluções consensuais, de forma a “evitar custos inerentes a processos de conflito”.

Em comunicado, a concessionária refere que, ao contrário do que a Câmara alega, a estrutura acionista da empresa mantém-se inalterada desde a formalização do contrato e que é “composta por empresas portuguesas com décadas de reconhecida experiência no setor”. E acrescenta: “as duas empresas acionistas, Hidurbe e Plainwater (antiga Somague Ambiente), são, por sua vez, detidas, desde abril deste ano, pela Indaqua – outra empresa portuguesa com mais de 25 anos de experiência no setor e responsável pelo abastecimento, só em Portugal, a mais de 600 mil habitantes”.

Para além disso, a AdPF diz ter investido, nos últimos 18 anos, mais de “60 milhões de euros nas redes públicas de abastecimento de água e de saneamento de Paços de Ferreira”. O que, segundo a mesma fonte, permitiu aumentar a capacidade de cobertura de 32 para 95% no município.

Mais: a empresa lembra que “alguns dos incumprimentos agora alegados publicamente foram inclusive já apreciados e rejeitados em tribunal arbitral”. Assim, diz mesmo, “não existe qualquer incumprimento contratual ou legal por parte das AdPF que justifique uma rescisão contratual”.

Fotografia de destaque no arquivo da valsousa.tv

Também poderá gostar de

Escrever um comentário