Home Sociedade BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CASTELO DE PAIVA ASSINALARAM O 43º ANIVERSÁRIO
BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CASTELO DE PAIVA ASSINALARAM O 43º ANIVERSÁRIO
0

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CASTELO DE PAIVA ASSINALARAM O 43º ANIVERSÁRIO

0
0

Aumentado o corpo activo da corporação  

Edil paivense realçou percurso notável da associação  

 

Na véspera de se completar um ano do terrível incêndio que devastou mais de 60% do território municipal, o presidente da Câmara Municipal de Castelo de Paiva presidiu ontem à cerimónia realizada para assinalar o 43º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Castelo de Paiva – AHBVCP, uma efeméride que voltou a servir para enaltecer a dedicação e empenhamento de todos aqueles que servem a instituição e para evidenciar a grandeza desta corporação, que continua a desenvolver um notável trabalho em prol da comunidade paivense, merecendo por isso, o reconhecimento público das entidades competentes e da própria população local.

Falando no decorrer da cerimónia que assinalou os festejos deste aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Castelo de Paiva – AHBVCP, o presidente Gonçalo Rochanão deixou de dar ênfase à missão altruísta da corporação e ao abnegado trabalho desenvolvido por esta associação humanitária há mais de quatro décadas de existência, considerando que os bombeiros de Castelo de Paiva continuam a primar a sua acção pela qualidade e excelência, realçando o percurso notável “ desta gente de valor e de grande nobreza “, que dá o melhor de si em prol dos outros, e com denodo e dedicação tem prestigiado a instituição ao longo dos anos, ao ponto da sua direcção, comando e corpo activo merecer o reconhecimento público pelo seu trabalho notável, elogiando ainda a forma como se aposta e valoriza o voluntariado, sendo a formação um factor de motivação para todos, nomeadamente para aqueles que, com gosto e estoicismo, assumem esta carreira, deixando a todos uma mensagem de esperança e de incentivo, porque ser bombeiro é ser herói e estar ao serviço de quem precisa.

Entre outras iniciativas, o programa deste ano contemplou uma formatura geral, um simulacro com a participação da escola de infantes e cadetes no Largo do Conde, um desfile apeado e motorizado, bem como uma sessão solene comemorativa, onde se registaram várias intervenções das entidades convidadas, bem como a entrega de Distinções Honorificas, Condecorações e Promoções a diversos bombeiros.

Para além do edil paivense, e de outros elementos da Câmara e da Assembleia Municipal, marcaram também presença, os autarcas da União de Freguesias de Sobrado e Bairros, Sardoura, S. Martinho e de Fornos, assim como elementos do elenco directivo da corporação, presidido por João Dias, comandantes honorários, o comandante operacional distrital do CODIS Aveiro, António Ribeiro, o comandante do Posto da GNR de Castelo de Paiva, Bruno Martins, entre outras entidades e dirigentes associativos locais.

Na sessão solene, Manuel Fonseca, presidente da Assembleia Geral da AHBVCP, falou no papel dos bombeiros, realçando a forma generosa e solidária como encaram a sua missão, ao mesmo tempo que abordou as dificuldades actuais da corporação, procurando encontrar apoios e estabilidade para responder com eficácia às missões que lhe estão atribuídas e às solicitações da população que, com brio e grande dedicação continua a servir, recordando depois, em jeito de homenagem, com um minuto de silêncio, o bombeiro Paulino dos Santos, entretanto falecido no decorrer deste ano.

Este dirigente, lembrou o terrível incêndio de Outubro de 2017 e os danos causados ao concelho, deixando palavras de gratidão aos bombeiros e aos representantes municipais da protecção civil, ao mesmo tempo que evidenciou natural preocupação que um comandante dos bombeiros possa vir a ser pronunciado por crime de homicídio por negligência no âmbito do cumprimento da sua altruista e nobre missão, reclamando solidariedade para os bombeiros, que na sua opinião, não podem estar sujeitos a estas acusações e ameaças de punições.

Já o comandante da corporação, Joaquim Rodrigues, que voltou a reconhecer que as dificuldades são grandes, num quadro de actuação que não se apresenta nada fácil, abordou as recentes acusações aos bombeiros referindo que, não é justo para quem, no desempenho da sua nobre missão, enquadrado no espírito de servir o próximo e a comunidade, seja acusado e responsabilizado quando as desgraças acontecem, mostrando-se orgulhoso pelo trabalho realizado, evidenciando que os bombeiros são sempre o pilar da instituição, destacando o mérito individual e colectivo dos homens que lidera, realçando que, mesmo em momentos difíceis, não deixam nunca de servir a instituição com coragem, empenhamento e dedicação, sempre com a preocupação de prestar o melhor socorro e lutar pela defesa de pessoas e bens, não deixando, no entanto, de insistir na necessidade urgente de ser incrementadas formas de incentivar mais o voluntariado para as corporações de bombeiros, louvando a coragem daqueles que agora chegam à corporação imbuídos no espírito de missão.

Em dia de mais um aniversário, que se traduziu numa cerimónia de grande dignidade, o presidente da AHBVCP, João Dias, também evidenciou o momento de dificuldades que a corporação continua a viver, mas mostrou-se feliz por ver aumentar o corpo activo, considerando ser uma honra para os novos bombeiros, mas também uma responsabilidade acrescida, pedindo mais respeito e consideração para os bombeiros portugueses que estão injustamente a ser acusados pelo poder judicial.

Na sua intervenção, o dirigente deixou alguns dados estatísticos referentes à actividade da corporação, que no ultimo ano acudiu a cerca de 6000 alertas e que apresenta um frota de 43 viaturas, confirmando a vontade de trabalhar e continuar a lutar pelo engrandecimento desta associação humanitária, apetrechando a corporação com o equipamento indispensável, referindo que a situação difícil que se vive exige rigor e dedicação de todos, agradecendo à Câmara Municipal e ao seu presidente, que considerou um amigo sempre atento e disponível, o apoio e colaboração sempre prestada, ao mesmo tempo que se mostrou orgulhoso pela corporação ser cada vez mais reconhecida e elogiada, saudando a estrutura do comando que tem apresentado um trabalho notável que deve merecer o aplauso de todos, desenvolvendo uma missão nobre e altruísta, ao serviço da comunidade, realçando neste momento de dificuldades acrescidas, a continuidade de gestão rigorosa e cuidada que tem permitido levar “ o barco a bom porto “ e garantir a estabilidade e a sustentabilidade financeira que a instituição apresenta.

Depois da intervenção do Engº António Ribeiro, comandante operacional distrital do CODIS Aveiro, que realçou a emoção de ver gente nova a chegar aos bombeiros, assim como a alegria estampada nos rostos daqueles que foram promovidos e distinguidos, aconselhando os mais velhos a cuidar dos novos e dar lhe os melhores ensinamentos, deixando depois uma saudação ao povo de Castelo de Paiva que teve um comportamento notável e soube defender-se com valentia, evitando-se a perda de vidas humanas, o presidente da CM de Castelo de Paiva manifestou o gosto de estar presente e sentir a vivência dos bombeiros neste tempo de aniversário, evidenciando satisfação de ver, apesar das dificuldades actuais, que esta instituição continua forte, dinâmica e activae, congratulando-se com a efeméride, realçou também o papel importantíssimo dos Bombeiros Voluntários na sociedade civil, destacando o notável trabalho desenvolvido pela corporação paivense, quer ao nível de serviço de socorro, quer do esforço que é feito, de forma permanente, em matéria de segurança de pessoas e bens, também enquadrado no âmbito da protecção civil, da qual é o responsável concelhio, não deixando de dar ênfase à missão altruísta da corporação e ao abnegado trabalho desenvolvido por esta associação humanitária há quatro décadas de existência, caracterizando a associação como uma instituição reconhecida e respeitada em todo o lado, não só pela sua grandeza, mas pelas provas dadas ao longo do tempo, em muitas situações de socorro, auxílio e apoio junto da comunidade paivense e concelhos limítrofes.

Gonçalo Rocha apelou à união de todos para ultrapassar as adversidades, na procura das melhores soluções para a corporação, falou no reforço do apoio para aquisição de equipamentos e abordou a necessidade de, para breve, se pensar na requalificação do quartel, criando-se espaços para melhorar a qualidade da prestação de serviços, com mais eficácia e rapidez, bem como potenciar uma aprendizagem mais qualificada aos jovens que agora abraçam esta nobre missão de ser bombeiros voluntários.

Relembrando o grande incêndio florestal de Outubro do ano passado, o edil paivense mostrou-se orgulhoso pela dedicação e o excelente desempenho dos bombeiros sob o comando de Joaquim Rodrigues, que considerou “ deram tudo por tudo “ para salvar vidas e aldeias isoladas que estiveram em perigo no concelho, merecendo por isso, o reconhecimento público de uma terra que tem sabido dar a volta nos momentos mais difíceis.

A jornada festiva encerrou com um desfile apeado e motorizado, que permitiu ver a grandeza da corporação paivense, uma das maiores do distrito de Aveiro, e um almoço convívio com todos os bombeiros do corpo activo, elenco directivo e convidados.

 

 

Carlos Oliveira

Assessor de Imprensa