Home Sociedade BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CASTELO DE PAIVA ASSINALARAM O 44º ANIVERSÁRIO
BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CASTELO DE PAIVA ASSINALARAM O 44º ANIVERSÁRIO
0

BOMBEIROS VOLUNTÁRIOS DE CASTELO DE PAIVA ASSINALARAM O 44º ANIVERSÁRIO

0
0

José Manuel Carvalho destacou grandeza da corporação

  • Associação  Humanitária tem agora novo elenco directivo

Na véspera de se completar dois anos do terrível incêndio que devastou mais de 60% do território municipal, o Vereador da Cultura da Câmara Municipal de Castelo de Paiva, José Manuel Carvalho, em representação do edil paivense Gonçalo Rocha, presidiu no passado Sábado à cerimónia realizada para assinalar o 44º aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Castelo de Paiva – AHBVCP, uma efeméride que voltou a servir para enaltecer a dedicação e empenhamento de todos aqueles que servem a instituição e para evidenciar a grandeza desta corporação, que continua a desenvolver um notável trabalho em prol da comunidade paivense, merecendo por isso, o reconhecimento público das entidades competentes e da própria população local.

Entre outras iniciativas, o programa deste ano contemplou uma formatura geral, um simulacro com a participação da escola de infantes e cadetes num dos arruamentos da vila, um desfile apeado e motorizado, bem como uma sessão solene comemorativa, onde se registaram várias intervenções das entidades convidadas, bem como a entrega de Distinções Honorificas, Condecorações e Promoções a diversos bombeiros, destacando-se o fim de estágio e a entrada de seis novos bombeiros.

Para além de José Carvalho, e de outros elementos da Câmara e daAssembleia Municipal,marcaram também presença, os autarcas das diversas freguesias do concelho, assim como elementos do novo elenco directivo da corporação, presidido por Manuel Fonseca, também Manuel Mendes,presidente da Assembleia Geral, Manuel Mendes, o comandante operacional distrital do CODIS Aveiro, António Ribeiro, comandante da corporação Joaquim Rodrigues e comandantes honorários, entre outras entidades e dirigentes associativos locais.

Falando no decorrer da cerimónia que assinalou os festejos deste aniversário da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Castelo de Paiva – AHBVCP, o representante municipalnão deixou de dar ênfase à missão altruísta da corporação e ao abnegado trabalho desenvolvido por esta associação humanitária há mais de quatro décadas de existência, considerando que os bombeiros de Castelo de Paiva continuam a primar a sua acção pela qualidade e excelência, realçando o percurso notável “ desta gente de valor e de grande nobreza “, que dá o melhor de si em prol dos outros, e com denodo e dedicação tem prestigiado a instituição ao longo dos anos, ao ponto da sua direcção, comando e corpo activo merecer o reconhecimento público pelo seu trabalho notável, elogiando ainda a forma como se aposta e valoriza o voluntariado, sendo a formação um factor de motivação para todos, nomeadamente para aqueles que, com gosto e estoicismo, assumem esta carreira, deixando a todos uma mensagem de esperança e de incentivo, porque ser bombeiro é ser herói e estar ao serviço de quem precisa.

Neste tempo de celebração, o Vereador José Carvalho destacou os 44 anos de muita e generosa entrega, dedicação e de desinteressado serviço em defesa dos milhares de pessoas que precisam de ajuda, socorro e conforto, enaltecendo a corporação paivense por manter inalterada a sua essência – servir e proteger; prestar auxílio a quem necessita e ser uma garantia de segurança e de protecção no concelho, sublinhando nesta cerimónia, o mérito, o profissionalismo e o altruísmo dos bombeiros de Castelo de Paiva, que mantêm bem viva a chama da vontade de servir o próximo de forma abnegada e altruísta, congratulando-se depois, com a força do voluntarismo, que se vai reforçando e se renova, bem patente, no olhar e expressão de cada bombeiro, no corpo activo da corporação, mas também no olhar e expressão de cada familiar presente.

No momento de recordar aqueles que se evidenciaram na nobre missão de servir esta Associação Humanitária, nestas quatro décadas de caminhada, o Vereador Paivense endereçou um reconhecido agradecimento ao anterior presidente da direcção, João Dias, enaltecendo o meritório trabalho que desenvolveu ao longo dos últimos anos, onde num estilo muito próprio, mas com determinação e coragem, consegui manter uma actividade regular, constante e considerável, que deve ser merecedor de reconhecimento, conseguindo um equilíbrio entre a gestão de homens e mulheres, do património, da actividade que é necessária desenvolver, da operacionalidade e da prontidão, tudo isto com rigor e com critério, sem esquecer, de forma especial, a sua capacidade de relacionamento institucional, nomeadamente e em particular com o Município de Castelo de Paiva, aproveitando para endereçar também uma saudação aos Corpos Sociais recentemente eleitos, desejando que desenvolvam um trabalho profícuo no futuro.

José Manuel Carvalho referiu, na sua intervenção, “ aquilo que fazemos juntos vai mais além daquilo que poderíamos fazer sozinhos, sem unirmos esforços, sendo por isso, indispensável reiterar a importância que o Município de Castelo de Paiva dá às parcerias que desenvolve e nutre com as mais diversas instituições, porque trabalhamos diariamente para o mesmo objectivo: servir, ajudar, olhar pelos outros e ser o garante do bem-estar e do conforto das nossas populações “.

E louvou o trabalho de proximidade com as pessoas e as famílias e a garantia do apoio e da segurança, porque fez questão de evidenciar que os bombeiros traduzem e reflectem isso mesmo: segurança e apoio, sempre, em cada dia, em cada noite, particularmente quando mais precisamos, numa terra que infelizmente, ao longo das últimas décadas viu acontecer episódios e tragédias que desafiaram a capacidade de resposta de todos e de cada um, relembrando depois o terrível incêndio de Outubro de 2017, em que muito ficou destruído, mas todos deram o seu melhor para salvaguardar vidas humanas, deixando uma palavra de profundo apreço ao Comandante Joaquim Rodrigues, grato pelo trabalho, dedicação e altruísmo colocado no cumprimento desta difícil missão.

Enaltecendo o trabalho que parceria que tem sido desenvolvido ao longo dos últimos anos, o autarca referiu que essa colaboração vai para além desse trabalho mais visível aquando das épocas de incêndio, falando nas soluções encontradas para salvaguardar a segurança e o bem estar dos paivenses, destacando com orgulho o Transporte Solidário – uma medida orientada para a população mais necessitada, que precisa de consultas, tratamentos e cuidados médicos, fora da área concelhia e que nos últimos oito anos teve resposta forte autarquia com base no protocolo de cooperação assinado com os Bombeiros Voluntários, para além de protocolos relativos à Equipa de Intervenção Permanente, partilhada em termos de custos com a ANPC e, mais recentemente, no combate à praga vespa asiática, como é conhecida.

E a concluir, reconhecendo o papel importantíssimo dos bombeiros e do voluntariado, o representante municipal lembrou que, desde 2015 que foram implementadas as medidas que constituem o Regulamento de Concessão de Regalias Sociais aos Bombeiros Voluntários do Concelho de Castelo de Paiva, com especial destaque para o seguro contra acidentes pessoais, celebrado e pago pela Câmara Municipal, na redução do pagamento da taxa de licenças de construção, ampliação ou modificação de casa de habitação própria e permanente, no apoio inicial para o encaminhamento jurídico em processos motivados por factos ocorridos no exercício das suas funções, nas bolsas de estudo específicas, assumindo que, seguramente, que muito mais há ainda a fazer, mas, dentro de um quadro de relação institucional franca e dentro daquilo que são as limitações municipais e também a disponibilidade financeira, o apoio à causa dos bombeiros terá sempre a solidariedade, a compreensão e a ajuda do município paivense.

Na sessão solene, Manuel Fonseca, presidente da Direcção da AHBVCP, falou no papel dos bombeiros, realçando a forma generosa e solidária como encaram a sua missão, ao mesmo tempo que abordou as dificuldades actuais da corporação, procurando encontrar apoios e estabilidade para responder com eficácia às missões que lhe estão atribuídas e às solicitações da população que, com brio e grande dedicação continua a servir.

Este dirigente, evidenciou natural satisfação, por ver concluídas algumas obras importantes no quartel, ao nível da nova cobertura, permitindo assim resolver graves problemas com infiltrações de água, assim como a remodelação do Salão Nobre, que também passou por obras de beneficiação, ficando a partir de agora, este espaço também disponível às ordens do comando da corporação, para poder realizar as actividades que bem entender, vincando sempre a necessidade de “ olhar para dentro “ da corporação, no sentido de criar as melhores condições de permanência e operacionalidade a todos os bombeiros que servem esta Associação Humanitária, na perspectiva de que todos se devem sentir bem servindo a instituição, recordando que os bombeiros são sempre o grande pilar da Protecção Civil e que isso nunca deve ser esquecido.

Manuel Fonseca sublinhou o interesse em resolver o problema das camaratas, procurando dotar o quartel com novos espaços, tendo em conta que a presença feminina na corporação é cada vez mais forte, ao mesmo tempo que falou na necessidade da ampliação do quartel, nomeadamente o interesse em criar uma zona de estacionamento para os veículos pesados da corporação, destacando uma frota de quatro dezenas de viaturas, confirmando a vontade de trabalhar e continuar a lutar pelo engrandecimento desta associação humanitária, apetrechando a corporação com o equipamento indispensável, referindo que a situação difícil que se vive exige rigor e dedicação de todos, mostrando-se feliz por ver aumentar o corpo activo, considerando ser uma honra receber os novos bombeiros, mas também uma responsabilidade acrescida.

Já o comandante da corporação, Joaquim Rodrigues, que voltou a reconhecer que as dificuldades são grandes, num quadro de actuação que não se apresenta nada fácil, falando na eficácia e operacionalidade no desempenho de uma nobre missão, enquadrada no espírito de servir o próximo e a comunidade, mostrando-se orgulhoso pelo trabalho realizado, evidenciando que os bombeiros são sempre o pilar da instituição, destacando o mérito individual e colectivo dos homens que lidera, lamentando depois, que sejam introduzidas leis que em nada vêm beneficiar a eficácia e a operacionalidade a quem, no teatro das operações e no terreno que conhece bem, dá o seu melhor em prol da segurança de pessoas e bens, sublinhando sempre, a preocupação de prestar o melhor socorro e lutar pela defesa de pessoas e bens, não deixando, no entanto, de insistir na necessidade urgente de ser incrementadas formas de incentivar mais o voluntariado para as corporações de bombeiros, louvando a coragem daqueles que agora chegam à corporação imbuídos no espírito de missão.

  Em dia de mais um aniversário, que se traduziu numa cerimónia de grande dignidade, o comandante operacional distrital do CODIS Aveiro, realçou a emoção de ver gente nova a chegar aos bombeiros, assim como a alegria estampada nos rostos daqueles que foram promovidos e distinguidos, aconselhando os mais velhos a cuidar dos novos e dar lhe os melhores ensinamentos, deixando depois uma saudação aos autarcas, à comunidade e aos bombeiros locais que devem ter orgulho na corporação que têm.

     A jornada festiva encerrou com um desfile apeado, que permitiu ver a grandeza da corporação paivense, uma das maiores do distrito de Aveiro, e um jantar convívio com todos os bombeiros do corpo activo, elenco directivo e convidados.

 

Carlos Oliveira

Assessor de Imprensa

Gabinete de Imprensa e Relações Públicas