Início » Paredes vai valorizar indústria do mobiliário com festival temático

Paredes vai valorizar indústria do mobiliário com festival temático

por Leite Beatriz
Paredes vai valorizar indústria do mobiliário com festival temático

É o grande objetivo do Festival de Artes em Madeira de Paredes (FAMP): valorizar a arte em torno da madeira, ao longo de todo o ano. O ponto alto desta iniciativa, organizada pelo município, será uma Bienal, entre os dias 29 de setembro e nove de outubro, para celebrar os artistas e as suas obras.

A ideia aí, segundo o presidente da Câmara, não é realizar uma simples “exposição de mobiliário”, mas, sim, promover toda a indústria. “Chamar a atenção, através da arte”, sublinhou. Outra garantia dada foi a de que a Bienal será repetida a cada dois anos.

Durante a sessão de apresentação do FAMP, na manhã desta quarta-feira, Alexandre Almeida aproveitou ainda para reforçar a importância desta iniciativa, lembrando que a indústria do mobiliário é “a grande marca identitária e diferenciadora do concelho”.

O festival pretende, em vista disso, homenagear e enaltecer os paredenses, que, como acrescentou o autarca, “com a sua paixão, determinação, resiliência e coragem, deram o grande impulso à história da maior indústria de Paredes”.

Ainda de acordo com o presidente, o município pretende consolidar a notoriedade e a atratividade do FAMP, interligando-o com outras iniciativas desenvolvidas pela autarquia, nomeadamente a construção do Parque Temático da Madeira.

Para já, no entanto, a primeira ação, enquadrada neste projeto, será a apresentação do livro “Artes em Madeira de Paredes: Alma, Esforço e Engenho”, no dia 16 de março, na abertura da BTL – Bolsa de Turismo de Lisboa. O mesmo será, depois, em abril, apresentado em Paredes.

Para Beatriz Meireles, responsável pelos pelouros da Cultura e do Turismo, este livro é “um belíssimo resultado da inventariação do património paredense, associado às artes em madeira”.

A vereadora lembrou ainda que, posteriormente, será apresentado um roteiro, para “servir de base ao turismo industrial”. O projeto culminará com a realização da já referida Bienal, ainda que, globalmente, o FAMP só termine no final de 2022.

Também poderá gostar de

Escrever um comentário